Terça-feira, 11 de Janeiro de 2005

Bem vinda quando vieres

11.jpg

"Vivemos com a unica certeza, a de que, um dia vamos morrer"


Falo para ti, para eles, elas os outros
Mas no fundo é tudo dirigido a mim
Em pessoas que falam comigo, frequentemente
Ou que me lêem por vezes
Hoje vou fazer igual,
Ou seja a perspectiva em que se observa a minha palavra
Achas que o tema pode ser outro!?
Ou seja poder-se-á falar de vida e situações da mesma, dizendo a verdade sempre, sem que o tema seja esse mesmo
Realidades e verdades
O único tema de que falo é o meu dia a dia
Contigo
E com todos
O que vou sentindo
O que sentem
Se está frio
O desemprego
O maremoto
Esses são os temas
Na ilha falei contigo
Mas quem me conhece sabe que a ilha é o meu futuro
Esperar a onda
Viver sem correr
"Onda"= fim comum de todo o ser humano
Prefiro espera-la na ilha
Que tê-la aqui onde nem o mar vejo
Preferes fugir da "onda" para sítio onde ela não te consiga alcançar nunca
Como se isso fosse possível...
Por isso correm todos os que fingem que "ela" não vem, iludindo-se e fazendo da Morte um Tabu
Por isso se grita e chora em funerais
Em vez de aceitar como o normal e nesse dia celebrar a vida de alguém que por cá passou, homenageá-la com um simples até mais logo
E um lindo sorriso de quem espera um dia voltará a ver um amigo
É a única coisa certa nesta vida
Se tudo no mundo estivesse tão equitativamente distribuído
Não haveria miséria
E talvez quando alguém morresse se sorrisse um pouco
Pois saber-se-ia que tinha sido feliz!
Utópico dirás
Como sempre
Não é alegre nunca o desconhecido
Mas pode ser aceite como algo comum e sem aqueles gritos de dor que tanto me perturba nos funerais
Somos egoístas
Gritamos porque estamos a sofrer
Esquecendo-nos que quem já foi o deixou de fazer, e devia-mos ficar um pouco a pensar nisso
Sim pensei
Eu próprio já sofri percas
E se contive os gritos
Sei que rasguei a alma
Mas se tivesse essa maturidade cultivada talvez um brinde e uma lágrima bastasse
Um simples até mais logo

publicado por bamos às 06:29
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Carla a 12 de Janeiro de 2005 às 06:10
João, a última parte é poderosamente intensa... li e reli. A alma rasgada também se cola. És lindo, sabias? Beijo.


De Ocean a 11 de Janeiro de 2005 às 21:38
Bonito poema, grande sentido de responsabilidade. Obrigado pelo comentário no meu blog, volta sempre. Abraço


De Bamos a 11 de Janeiro de 2005 às 15:39
Um dia sonhei com a "ilha", eu seria a rainha!
Por saber que existem "ondas" deixei o sonho para aproveitar a VIDA até ao dia que uma nova etapa aparecerá.


De Marga a 11 de Janeiro de 2005 às 10:41
Queria ter essa maturidade e conseguir gritar calada, mesmo quando a dor me dilacera a alma, mas...ainda não a tenho!!! Não será utópica a tua visão da morte, será antes racional, mas...seremos nós racionais quando perdemos algo ou Alguem que é o nosso Mundo??? Beijo João e :)


De Dreamermoon a 11 de Janeiro de 2005 às 10:37
Mais uma vez, belas palavras as tuas... O sentido de ""Vivemos com a unica certeza, a de que, um dia vamos morrer". Algo que tantas vezes esquecemos, devemos aproveitá-la ao maximo, devemos tentar lutar pelos nossos sonhos e não passarmos tanto tempo por vezes a preocuparmo-nos com coisas insignificantes e a ficarmos parados a fazer de acontecimentos, tempestades em copos de agua. Devemos sim erguer-nos e continuar para vivermos a nossa vida, saborea-la pedacinho a pedacinho...
Beijos duma alma sonhadora*


De ferrus a 11 de Janeiro de 2005 às 09:23
Dizem estupidamente que os homens não choram, confesso que ao ler-te me cairam uma lágrimas pelos que já perdi, não consigo ter essa maturidade, mas gostava, confesso. Escreveste algo muito profundo e bonito e que me toca no mais profundo do ser mas também sei que um dia será um até logo. Mas tb choro em forma de sorriso quando encontro ainda nesta vida pessoas de quem eu gosto e com quem gosto de conviver.
Um sorriso para ti, João e aquele grande abraço!


De Jamour a 11 de Janeiro de 2005 às 08:47
Somos a essência da natureza... Um ciclo, a vida... A morte a única certeza que temos. A razão e a compreensão fazem parte de nós. Aceitemo-nos, aceitando os outros... O que a vida nos dá e nos tira. Eís a nossa essência. Parabéns pelo blog. Visita o meu. Força!!!


De sara a 11 de Janeiro de 2005 às 08:34
Aceitar o que a vida nos dá e ao mesmo tempo fazer a vida a cada dia. Tudo está garantido e tudo pode ser mudado. Tudo está à distância de um sonho e na capacidade de lutar. E é assim mesmo que tudo começa de dentro para fora, que coisa bonita de se ler. Obrigada pela partilha que aqui fazes. Para ti um sorriso e um abraço :-)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Numa boa amiga silenciosa...

. Onde se inventa e de cert...

. Em beijos de luz a zul

. ...

.

Take...

.

Paix...

.

Enqu...

.

dois...

.

Palm...

.

Prim...

.arquivos

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005


blogs SAPO

.subscrever feeds