Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2005

O beijo

Saturno.jpg

“É grátis leva se queres”


Talvez sim talvez não
Dependo do modo como aceitas e toleras os outros
Mas algo no "disco" apagou-se definitivamente, sinto
A minha cabeça ontem estalou
Mais um link qualquer se deve ter desligado
Arrepios
Espirros
E continuo com a cabeça inflamada
Isso é tudo sintomas físicos
Se te falo dos psicológicos, apenas te digo que adoreva estar só e ter uma ilha em que podesse plantar coives
adorava.....pudesse........couves
Numa frase três erros não é normal! Porra
Vim aqui
Quando acordei, pensei em ti onde estarias e o que pensarias
Mas achei que não devia
Já hoje me mandaram um mail a dizer que és a lua bonita
Puro engano ou talvez não
Mas entendo, eu não deveria ter dado aquele título
Mas foi o que saiu
Falo mesmo da lua, não tenho culpa e gosto
que exista por acaso uma lua bonita que admiro e adoro ela entende, é linda
O meu "fetiche" com a lua vem muito anterior a esta lua que sei nada dela, raramente falo
Estou é sempre na lua
É a frase que oiço desde criança!!!!
Poeta
Não sou nem quero ser
Comentei isso num blog de uma Maria
Que escreveu no meu que devia ter mais poesia
Fartei-me de rir enquanto lhe respondia
Sabes bem que as minhas “poesias”são conversas que tenho
Escreves e entregas-te a escrita
Eu apenas tento aprender a comunicar
Ainda que seja em monólogos
Comigo mesmo
Com a tua ajuda
Não estamos a falar já....!?
Enquanto troco palavras e frases
É forte como quase tudo
É giro entendo tudo num sentido em que estou mergulhado na altura de ler
Fica difícil perceber tudo se não souber onde e porque o escreves
O que cheiravas o que pensavas e vias
Que chegues depressa ao destino que escolhes
É tudo que posso dizer
Eu não sou dono de escolher um destino hoje
Mas já li textos assim
Tomam sentidos universais
Vomita mas longe
Foi forte de mais
Foi mesmo físico
Não há escolhido em termos convencionais
Já te disse algumas vezes
Jamais Amarei
Bem estava eu quando o sangue era apenas bombeado num sentido
Agora desafia as leis da gravidade e parece querer rebentar-me a cabeça
Tenho tesão cerebral deve ser isso
A sensação é essa
Um enorme tesão no cérebro
Assusta!
È ai que me sinto na lua
Adoro tudo que seja directo e verdadeiro
Sou a pessoa mais tolerante no amor
Só não amo
Fodo
Na minha primeira oportunidade....
A noite é para isso
E cansa
Só não cansaria se tivesse um seguimento lógico
E suspenso por saber o fim da história
Como nas novelas
Não sou exemplo para nada nem tenho moral para mudar nada
Não custa muito fazer-te bem
Não custa nada
É grátis
Se queres isso leva
Beijo enorme

publicado por bamos às 04:26
link do post | comentar | favorito
|
13 comentários:
De Patricia a 20 de Janeiro de 2005 às 13:58
OLA :D participa no meu desafio sorriso. Manda-me o teu sorriso para o meu mail, esta tudo explicadinho no meu blog. APARECE!



De novembro7 a 20 de Janeiro de 2005 às 03:46
Gostei imenso, e essa questão de ser ou não poeta...está é dentro de nós...cada um sabe o q sente acerca disso! Continua assim, voltarei sp :)


De Mar Revolto a 19 de Janeiro de 2005 às 14:14
Este teu texto poético fascinou-me, tens a sensibilidade na ponta dos dedos e fazes das palavras bailados, umas vezes rumbas, outras boleros e este soa-me a tango argentino, pela sensualidade.
Beijo grande e as melhoras


De Mar Revolto a 19 de Janeiro de 2005 às 14:14
Este teu texto poético fascinou-me, tens a sensibilidade na ponta dos dedos e fazes das palavras bailados, umas vezes rumbas, outras boleros e este soa-me a tango argentino, pela sensualidade.
Beijo grande e as melhoras


De Mar Revolto a 19 de Janeiro de 2005 às 14:11
Este teu texto poético fascinou-me, tens a sensibilidade na ponta dos dedos e fazes das palavras bailados, umas vezes rumbas, outras boleros e este soa-me a tango argentino, pela sensualidade.
Beijo grande e as melhoras


De isarara a 19 de Janeiro de 2005 às 14:04
não és poeta mas tens alma de poeta


De isarara a 19 de Janeiro de 2005 às 13:59
não és poeta mas tens alma de poeta


De Vampiria a 19 de Janeiro de 2005 às 12:37
Tenho de te agradecer pelas tuas palavras no meu cantinho. É tão bom saber que que me leste e gostaste.
Em relação ao que escreveste. Devo dizer-te que houve coisas que não compreendi(o que é normal já que é a primeira vez que te visito), mas do que entendi, gostei imenso. É forte, e eu adoro.

Beijos grandes, e volta mais vezes ao meu espaço que és sempre muito bem-vindo.

* * ** * *


De Cris a 19 de Janeiro de 2005 às 12:13
Quem disse q n és poeta?
A poesia esconde-se, por vezes, debaixo do q parece frio, sólido, gélido... ela pode estar em qqer parte.
Ao q me parece, escreveste este teu texto de uma rajada só. Fluiu. E por detrás destas palavras simples e, de certa forma, solitárias, está um João... uma pessoa q sente e q sofre, como todas as outras. Talvez te pareça q deste a imagem de uma pessoa dura e fria, mas acredita q, para além das palavras q aqui deixaste, está toda uma panóplia de sentimentos que apenas se podem ler nas entrelinhas...
Tu és poeta, sim!
beijinho


De ferrus a 19 de Janeiro de 2005 às 11:47
Como a Carla disse, o texto é fortíssimo. Tudo foi dito por ela e que subscrevo. Resta-me deixar-te um abraço, João!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Numa boa amiga silenciosa...

. Onde se inventa e de cert...

. Em beijos de luz a zul

. ...

.

Take...

.

Paix...

.

Enqu...

.

dois...

.

Palm...

.

Prim...

.arquivos

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005


blogs SAPO

.subscrever feeds