Quinta-feira, 31 de Março de 2005

Quinto elemento






"Tormentas na alma"




Sim relaxa mesmo... os elementos
E a água têm esse poder...
Escolhas de uma vida e todos os sentidos numa hora
Ou segundos
apenas... não sei, mas talvez sim...
Acho que sim
Hoje acho que não entendo o tempo mesmo
E penso que para se ter algum mais é preciso ser-se algo mais, mas artificial
Pois natural é sermos ter-mos todos iguais...
Se olhando apenas o superficial
Isso não sou, aprofundo algo que apenas somos és
E chega sempre
E sou o que sou
E sei o que isso é
Não tenho cabeça para falar muito
Só mesmo para sentir
Adoro pessoas secas! Ainda que bem molhadas
Que não tenham medo nem receio de assumir que andaram à chuva
Até mais. ... Que isso
Eu mais que te lembrasses queria que sentisses a agua
E mais que uma imagem de ti linda e molhada assumida
Queria uma imagem tua feliz e com o prazer de saber
Que és o meu quinto elemento
Que o fogo seca e relaxa, e existem o ar e a terra e afinal todos andamos à chuva





publicado por bamos às 14:06
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quarta-feira, 30 de Março de 2005

Eu sei a solidão







"Vale mais que mil palavras"




Acredito que o mundo anda sensível
Para mim não nada excessivo
Apenas enigmático
Pois olho-o com varias perspectivas
Demora-se uns, escassos, segundos
Em estado de choque
Seguindo-se um como sempre
Quis o destino que fosse assim
Enfim
Bom mesmo é sentir que estás viva
Diz-me por quem esperas ainda?
Alguém merece o teu sofrer linda?
Nada melhor que o teu sorriso de diva






publicado por bamos às 22:23
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Terça-feira, 29 de Março de 2005

Sem Saber







"Acho que nos podemos fazer isto"




Sem saber
Porque te amei assim
Porque chorei por mim
Sem saber
Com que punhais te feres
Magoas mais e queres
Sem saber
Onde é que estás, nem como
O que te traz sem rumo
Sem saber
Se tanto amor devora
Mais do que a dor que chora
Sem saber
Se vais mudar, se então
Podes voltar ou não
Sem saber
Se em mim mudou a vida
Se em ti ficou perdida
Sem saber
Da solidão, depois
No coração dos dois
Sem saber
Quanto me dóis na voz
Ou se há heróis em nós...


Vasco Graça Moura



publicado por bamos às 19:34
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Março de 2005

Fechado para obras

lua_2002_09_4.jpg


</font></b>



Gente linda:
Tenho o Pc em obras não consigo editar muita coisa e não sei durante quanto tempo. Voltarei assim que minimamente estabilize a maquina (perdão as maquinas, pois a minha cabeça acho que ainda ficou mais afectada que o PC :))) ). Não quis deixar de fazer mais um post, ainda que este seja apenas o possivel com o que tenho a mão que sirva para esta justificação e para Vos deixar este enorme Abraço do tamanho da Lua e um beijo que vos deixe doces e sempre sorrindo, Pois é meu alimento todo o sorriso vos sinta!!:))
Até já!

Bamos, João eheheh formata isso!!! Ops...tá feito. FUI........................
publicado por bamos às 05:43
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Domingo, 27 de Março de 2005

Renascer







"Doce em agua salgada"


Olá Doce
Começar do zero
Acho que é isso que se faz
Deve ser-se doce
Reformular o sorriso
Estás sempre linda e fazendo-o!
Com carinha cansada! Simplesmente bonita
Estás sim, estás cansada...
Noto-o em mim
Desculpa sentir-me te
Disseste que ficavas por aqui e não entendi...
Última farinha fica sempre no moinho
Em todo caso eu estou por cá
No zero
No primeiro sitio que te senti








publicado por bamos às 04:48
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Sábado, 26 de Março de 2005

Estados e conversas com a alma







"Antes ou depois e até durante uma submersão"


Preciso de ti agora!
Ser engraçado e fazer uma chalaça
Não resulta por vezes
dizer....que quando preciso, vou logo ao sítio
Neste caso precisando de ti não vou a lado nenhum
Tas aqui, não alma?
Nem preciso de saber como foi o teu dia
Acordas-te
Relaxaste
Até dói imaginar-te
No banho....
todinha...
Aromatizada e doce
Nuazinha
Ainda
Eu bem tento falar de tudo e mais alguma coisa
Mas esse corpo não me sai da cabeça
É mesmo difícil ver te a alma
E não querer mais... corpo
Todos os dias
Até poder ter corpo claro
É só mesmo... para compor
A alma
Acredito
Por vezes a alma não se entrega
Está fechada por vários motivos
Isso deve doer muito
E dar um pouco de alma a quem só quer o corpo
Isso deve doer mais
Mas isso são as tais situações que depois de uma duas três vezes aprendemos a nossa custa
E só se repetem se quisermos
Ou seja nunca há culpa só em uma das partes








publicado por bamos às 03:55
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Março de 2005

Amor debaixo de agua








 Esta hora é a minha

Ainda é cedo acho...

Ajuda-me a pensar...

A ver se sai um post hoje

Lindo combina com asneira?

E o azul pode ser um mar de rosa?

O mal dos amores perdidos

Já tentaste sentir algo único...

Algo só teu

Que só tu consigas sentir

Então vai por ai...

E se queres mesmo....vais agarras e tens

Parece difícil mas é o mais simples

Algures onde acaba a luz

Por vezes o voltar para cima está cá em baixo, entendes?

Partes de ti que se soltaram com a gravidade

Tenho as minhas 23 horas e meia por dia sem sorrir

Tu que vês um momento meu e pode ser um sorriso

Estes dois minutos que te dedico um sorriso

Apenas isso.

Gostar é isso, é ver dois minutos e tomar como vinte e quatro horas

E amar é ver esses dois minutos gostar e aceitar as

Vinte e três horas e cinquenta e oito minutos em que não se vê o sorriso

Mas saber que ele existe exteriormente pelo menos meia hora por dia

Esperar e desejar ter mais vinte e oito minutos apenas

Em que te dedico o pleno tempo de meu sorriso

Aqueles cento e vinte segundos que estou rosa, não penso em mais nada só em ti

Apanhas-me em maré..... Cheia e ficas submersa

Começa a ilusão e pode acabar em amor ou acabar com ele logo ali

É uma roda da fortuna

E tudo depois é uma troca que jamais poderá ser palavras apenas

Partimos e estamos em universos paralelos

Apenas nos podemos sentir

Nunca tocar mas as palavras tocam

Falar é sempre igual, mas pode ser diferente

Eu gosto da tua maneira de sentir....

Pareces a parte que gosto de mim

Sinto que sentes como eu

Sim és... somos Atlântida




"Começa com a maré a invadir a rocha"





publicado por bamos às 06:10
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Março de 2005

Electrões







"Talvez eles não parem e existam mesmo"


Que correria!
Gostava de te ver a correr!
Só energia!
Isso bem aplicado ilumina uma cidade!
Se não tivesses tanta luz
Fazia-te um mapa nas costas de uma foto
Com as tuas voltadas para a cidade
Nesse terreiro desenhava pessoas felizes
Sem sombras, afinal a cidade é de luz
Eu perdi-me....
Ninguém me perde
Espero que passe rápido
Pois gosto sempre de ver e chamar as pessoas pelo seu único
Há ninguém aqui, dizem que ministérios
Mas esses não informam
Apenas sabem e fazem nada mesmo







publicado por bamos às 05:33
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Março de 2005

Olhando a cidade de costas







"Em busca de amor verdadeiro?"


Sozinha!? Nessa enorme paisagem
Em que te integras perfeitamente
Natural e sem estereótipos de beleza
Aposto que há uma personagem aí
Ainda que seja na tua cabeça
Não precisas de amor assim....
Não era isso que te ia fazer chorar?
A solidão!
Assim é fácil... sofrer por Amar
Um amor de verdade mas estrategicamente distante
Se for só isso é a coisa mais fácil do mundo
Afinal só falas por falar
O que faz falta é coisas palpáveis e disponíveis ao teu tacto
E a um sorriso teu
O amor
Esse, o de verdade, o teu
O único de verdade e que conta é o nosso
O dos outros é sempre dos outros ainda que verdadeiro
Só ele o sabe e sente e trata como quer
E dá como e quando apetecer
Por isso só o teu é de verdade e conta e só com ele podes contar
E se não entregas e procuras o teu jamais poderás sentir verdade no outro
Sentes falta de um Amor de verdade!!!!!!
Isso não se diz......
Faz-se
Faça-mos então, começamos no teu ou no meu?







publicado por bamos às 03:45
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Março de 2005

Aí onde quer que andes








Bom dia Prima

Vera

Coisa boa tu és!

Chuva

Se te saiu é porque antes entrou

Tudo que sai já antes alegadamente deve ter entrado

Ficam contentes de te ver

Aproveita enquanto dura, amanhã

Já és mau tempo

Eu também, estou aos saltos por estares aqui (aí onde quer que andes)

Atchimmmmm

Espaços de alegria, em tempos que são nem são maus

Tempos apenas

Estás sequinha mas sabes derreter

Isso incomoda! tanta seca... gosto de um pouco de humidade

Sei que não és parva

Já apanhei umas gotitas

Mas aqui também não é da molha parvos

É mesmo, molha tudo parvos ainda mais, linda tu és

Conta-me tudo......

Que te tem aparvalhado a vida?

Conta!

Não acredito em nada

Mas aceito o que digas

Declarações de Amor, tens tido?

Já sei que tu não falas essas coisas de ti comigo

Só de mim contigo

Tens tudo ao teu alcance

O que queres ou quiseres

Eu sei

Deixa-te de coisas

Como gostas de ser amada?

Acende a lareira

E faz amor de Inverno com ele

Em frente a ela, pisca o olho ao verão

E não deixes que ele traga os fogos este ano

Acende a lareira no Inverno deixa…

Libertar os aromas de resinas queimadas

Vais ver que o verão colorado

Não será queimado e

O Outono vai ser dourado

Não fiques sozinha

Feita tonta a olhar a lareira!

Vera olha o verão delicia-te!

Mas Ama e "come" o teu Inverno

Sonha com o Outono que nunca tocarás!

Namora prima, foi para isso que nasceste

Vera




"Estou aqui aos saltos"



Bom dia Prima
Vera
Coisa boa tu és!
Chuva
Se te saiu é porque antes entrou
Tudo que sai já antes alegadamente deve ter entrado
Ficam contentes de te ver
Aproveita enquanto dura, amanhã
Já és mau tempo
Eu também, estou aos saltos por estares aqui (aí onde quer que andes)
Atchimmmmm
Espaços de alegria, em tempos que são nem são maus
Tempos apenas
Estás sequinha mas sabes derreter
Isso incomoda! tanta seca... gosto de um pouco de humidade
Sei que não és parva
Já apanhei umas gotitas
Mas aqui também não é da molha parvos
É mesmo, molha tudo parvos ainda mais, linda tu és
Conta-me tudo......
Que te tem aparvalhado a vida?
Conta!
Não acredito em nada
Mas aceito o que digas
Declarações de Amor, tens tido?
Já sei que tu não falas essas coisas de ti comigo
Só de mim contigo
Tens tudo ao teu alcance
O que queres ou quiseres
Eu sei
Deixa-te de coisas
Como gostas de ser amada?
Acende a lareira
E faz amor de Inverno com ele
Em frente a ela, pisca o olho ao verão
E não deixes que ele traga os fogos este ano
Acende a lareira no Inverno deixa…
Libertar os aromas de resinas queimadas
Vais ver que o verão colorado
Não será queimado e
O Outono vai ser dourado
Não fiques sozinha
Feita tonta a olhar a lareira!
Vera olha o verão delicia-te!
Mas Ama e come o teu Inverno
Sonha com o Outono que nunca tocarás!
Namora prima, foi para isso que nasceste
Vera





publicado por bamos às 06:00
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Numa boa amiga silenciosa...

. Onde se inventa e de cert...

. Em beijos de luz a zul

. ...

.

Take...

.

Paix...

.

Enqu...

.

dois...

.

Palm...

.

Prim...

.arquivos

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005


blogs SAPO

.subscrever feeds